Entrevista a Judith Butler: “Política da ambiguidade” (en portugués)

Estadao entrevista a Judith Butler

*

El diario brasilero Estadão, a través de su revista dominguera Aliás, publica una entrevista a Judith Butler, donde se aborda la relación entre derechos LGBT y diversos panoramas locales de la actualidad tales como las luchas políticas partidarias, las campañas electorales, la libertad de expresión y de culto.  Un material breve que, como siempre, deja con ganas de leer más…

“Se uma pessoa emite um julgamento moral contra a homossexualidade, essa pessoa deve ser simplesmente confrontada com argumentos melhores. Mas, se ela pretende instalar sua crença na legislação ou desencadeie uma campanha de ódio e discriminação, entramos em outro território. Se essa propaganda homofóbica contribui para a instalação de um ambiente político em que gays, lésbicas, travestis ou transgêneros sintam-se moralmente depreciados ou fisicamente ameaçados, isso jamais poderá ser considerado “liberdade de expressão”.

“Ainda que a afirmação da identidade sexual ou de gênero seja importante, também temos que nos questionar sobre como tais termos são definidos e a partir de que momento se transformam em outros tipos de rótulo. Uma pessoa não quer se libertar da homofobia para se ver aprisionada de novo em outra ideia restrita de identidade. Para mim, a Queer designa uma forma de aliança em que a sexualidade não seja nem prescrita nem policiada – a menos que machuque alguém.”

*

 

Anuncios